O MELHOR DO PSYTRANCE

VOCÊ ENCONTRA AQUI!

Enciclopédia do PsyTrance – Carreira #47: Bliss

Com a ideia de explorar mais a fundo o mundo do Psytrance, nós da Hï BPM resolvemos criar a Enciclopédia do Psytrance, para apresentar nosso olhar sobre diversos temas ligados a cena.

Enciclopédia do Psytrance terá o formato de resenhas em série, com um texto novo todas as sextas-feiras. Primeiro falaremos sobre os projetos e carreiras de DJ’s. Hoje exploramos um pouco mais da história de Bliss.

Para visualizar outros textos da nossa Enciclopédia do Psytrance, basta clicar aqui.

Origem

Bliss é o projeto de Psytrance do israelense Yonatan Marcow, mundialmente conhecido por sua personalidade e pelo altíssimo nível de energia presente em suas produções.

O produtor entrou em contato com a música bem cedo, participando de algumas bandas de rock e metal em sua juventude. Aos 16 anos, já sendo um excelente guitarrista, ele conheceu a música eletrônica e foi imediatamente atraído pelo novo estilo musical.

O interesse foi crescendo e se tornando um desejo, até que ele decidiu começar a produzir Psytrance. Em 2003, o projeto Bliss foi criado e nos dois anos seguintes Yonatan foi aperfeiçoando suas produções no estúdio. Foi um trabalho árduo, com muitas horas de produção polindo o conceito do projeto. Até que, em 2005, ele lançou o seu primeiro álbum, “The Rhythmus Gene”, pela Phantasm Records (Reino Unido)

O álbum foi um grande sucesso e, imediatamente, suas músicas começaram a ecoar por festivais ao longo do mundo, sendo elogiada e tocada por diversos artistas de renome na cena. Após isso, o projeto decolou e Bliss se tornou uma referência até hoje. 

Características

Bliss é um dos projetos mais autênticos de PsyTrance da atualidade. Yonatan criou um estilo próprio de produção que, além de ter muita personalidade, é muito rico musicalmente. Suas produções não se encaixam em modelos, talvez seja por esse “descompromisso” com os padrões do gênero que elas são tão marcantes. 

Mas suas músicas não se destacam apenas pela personalidade. O israelense, que é um excelente produtor, consegue transpassar suas mirabolantes ideias para seus trabalhos de uma forma incrível, o que torna seu som muito vibrante e estimulante. O “power trance” de Bliss é daqueles para extravasar, jogar a perna lá em cima, pular, quebrar tudo e mais um pouco.

Suas tracks sempre possuem uma linha de baixo extremamente potente, com drops verdadeiramente insanos, muita psicodelia, melodias envolventes e um ritmo muito dançante. Tudo isso muitas vezes é somado aos belos solos de guitarra. Sim, a antiga paixão do produtor ainda o acompanha até hoje, sendo um de seus diferenciais, inclusive em suas apresentações.

Aliás, suas apresentações também merecem muito destaque! Yonatan tem uma presença de palco excelente e sempre agita as pistas por onde passa com muita energia lá de cima do palco, não deixando ninguém ficar parado. A união da boa performance com suas produções eletrizantes transformam a pista de dança em uma explosão de felicidade. Não é a toa que o projeto ocupa os line-ups dos maiores festivais ao longo do mundo, com um agenda cheia, muitas viagens e muito carinho dos fãs. 

Sucessos

Em seus 15 anos de projeto, Bliss lançou 2 álbuns e diversas músicas, sempre inovando e aperfeiçoando sua técnica. Seu segundo álbum, “The Looney Bin”, foi lançado em 2008 pela Phantasm Records novamente. Nele, suas produções já contavam com um nível altíssimo de intensidade. 

O álbum foi um sucesso e contou com parcerias de algumas feras, com destaque para as músicas: “Bella Donna”, em parceria com Mekkanikka; “The Looney Bin”, em parceria com Painkiller; “A Walk in The Park”, em parceria com Painkiller e CPU; “Blisster”, em parceria com Dickster; e outros sucessos.

Além dos dois álbuns, o Yonatan lançou diversos singles e EP’s de muito sucesso pelo projeto, várias deles marcaram (e marcam até hoje) a cena no mundo todo por muitos anos. Um bom exemplo é o EP “Build Up”, lançado pela Nutek Records em 2012, que conta com as músicas “Lazer Lips”, “Trippin Ballz”, além de “Stay Sharp” e “Warriors”, duas músicas que se tornaram hinos do Prog Trance

Outras músicas que merecem destaque são: “Od Daka La Mana” (2013), em parceria com Ritmo; o remix feito de “Disco Valley” (2013), do Astrix; “The Skeleton Dance” (2014); o belo remix feito de “Stomping Ground” (2016), do Ace Ventura; “My LSD Song” (2017); e o remix de “MindF**k” (2016), feito em parceria com Azax, que agitou as pistas do mundo todo por vários anos.

Impossível esquecer das insanas “La Resistance” e “Goash 101”, lançadas em 2017.

Bliss também lança alguns minimixes marcantes, como: “145 Mini Onions” (2016) e “Etnix”(2017). Nos últimos anos, alguns destaques são: “Onn Town” (2018); “Bliss on Mushrooms” (2018), em parceria com Infected Mushroom; “Boyz Make Too Much Noize” (2018); “Blaze Up” (2019); “Andrelamusia” (2019), em parceria com Rising Dust; e a bela parceria com Tristan em “Meltdown” (2019). Seu último lançamento foi “Ani Mevushal”, em outra parceria com Infected Mushroom, dessa vez para o “More Than Just a Name”, lançado neste ano. 

🎧 Acesse SoundCloud: BLiSS

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

QUER CONTEÚDO EXCLUSIVO? CADASTRE-SE NA HÏ BPM GOLD!

CONTATO

(11) 9 3455-5554 ADMINISTRATIVO

(11) 9 2001-9508 EDITORIAL

ONDE ESTAMOS

RUA VICENTE LEPORACE, CAMPO BELO, CEP: 04619-035 - SÃO PAULO - SP