O MELHOR DO PSYTRANCE

VOCÊ ENCONTRA AQUI!

Resumo do Carnaval 2020 em São Paulo

Se você acompanha as redes sociais, COM CERTEZA viu alguma coisa sobre o Carnaval com Psytrance em São Paulo.

Nós, da Hï BPM, comparecemos em todos os 5 blocos que aconteceram aqui na capital paulista, para te contar tudo que rolou.

Fizemos um levantamento de pessoas que estiveram em cada bloco, de acordo com números oficializados por cada organizador, e você pode acompanhar ao longo desta matéria.

Se liga nessa experiência e se prepare que ano que vem tem mais!!

Ao final da matéria, deixamos uma análise crítica com alguns pontos interessantes como a aprovação e desaprovação do público, a união de algumas crews, os benefícios e consequências dos blocos de rua.

BLOCO FRITA COMIGO

O primeiro bloco no pré Carnaval foi o Bloco Frita Comigo que arrastou multidões na Barra Funda, aqui em São Paulo, com dois trios elétricos que totalizam 40 metros de som, tudo isso para mais de 40 mil foliões!

Em seu segundo desfile, este Bloco é um dos pioneiros à se consagrar em São Paulo.
A ideia surgiu no ano de 2018 onde os organizadores decidiram fazer o primeiro Bloco de Psytrance em São Paulo em 2019.

Quem esteve presente na primeira e histórica edição de 2019 com certeza guarda muitas lembranças boas;
Agora em 2020, a galera curtiu mais uma edição com a qualidade, organização e tradição do Bloco Frita Comigo!

Nesta edição, o bloco contou com apresentações de grandes DJs da cena psytrance nacional e internacional, como Skulptor, Psycho Cat, RAZ, Mandrágora, D-trox, Jacob, Technical Hitch e Talamasca!

BLOCO PSYSHAKE

Os blocos de trance chegaram com tudo e o PsyShake foi um dos maiores, levando aproximadamente 70 mil pessoas (de acordo com os organizadores) atrás de um trio que teve Vegas como atração principal; tem como não ser surpreendente?!

Quem esteve presente viu com os próprios olhos o espetáculo que foi esse bloquinho! Dentre as atrações estavam o garoto perigo, Dang3r, teve também Acquavitta, Vermont, RAZ, Special M, Specter e Oddyzeira! O DJ Azzura também esteve presente no trio para tocar sua nova música com Special M; e Major 7 nos surpreendeu aparecendo ao lado do Vegas para tocarem juntos uma das tracks mais famosas aqui no Brasil.

Dá uma olhada nisso!!

BLOCO SOLARIS

A crew do Solaris Festival decidiu lançar um bloquinho este ano também na época de carnaval, assim como os festivais das edições passadas. A concentração foi na rua Henrique Schaumann, em Pinheiros, e reuniu cerca de 30 mil pessoas (de acordo com os organizadores) para curtir aquela farofa do almoço de domingo! Hahah

Para a primeira edição, eles convidaram Paranormal Attack , Undercover, Aura Vortex, Gottinari, Harmonika, Sighter, Zanon, Basscannon, Artur Matos, Lucas Souza e Pedro Vidigal!

BLOCO PSYTRANCE SOMOS NOZES

Um dos blocos mais conceituais de São Paulo arrastou uma galera e foi exemplo de organização! O Bloco Psytrance Somos Nozes também aconteceu na rua Henrique Schaumann, em Pinheiros, e reuniu cerca de 15 mil pessoas (de acordo com os organizadores).

Eles deram uma aula de conscientização quando, de cima do trio, avistaram um roubo no meio da multidão. A música foi parada, a Polícia Militar foi acionada e eles conseguiram, em conjunto com o público que segurou um dos infratores, achar e prender dois jovens que estavam em condicional.

Mas isso não afetou quem estava curtindo o rolê. O som voltou em seguida com gritos e palmas de aprovação do público sobre o que tinha acontecido. Eles deram uma aula de fullon e dentre as atrações estavam Sinestesia Live, Etnica, Zaghini, DJ Surya, ZandZa Berg e Flá Almeida!

BLOCO DA SHAKTI, RESPECT, DARKULTURA E TRANCE DE RUA

Um bloco diferente de todos os outros, em um local de importância cultural e arquitetônica de São Paulo. O Bloco que uniu várias equipes para ser realizado tocou um misto de vertentes em plena Escadaria do Bixiga, um dos bairros mais conceituais da cidade.

Dentre os DJs convidados estão Infinity 33, Odara, Karlovic, Edu vs Zaghini e Habeas Corpus.

PONTOS INTERESSANTES

Blocos sem rivais:

Um dos pontos que nos chamou a atenção foi o trabalho em equipe para fazer todos os blocos serem realizados da melhor forma. Cada equipe organizadora fizeram o possível e o impossível para levar o Psytrance para as ruas de São Paulo. Não é fácil!

Além disso, alguns blocos mostraram mais união ainda quando organizadores do Bloco Frita Comigo também ajudaram o Bloco Psytrance Somos Nozes, no dia do evento com os cordeiros. O Bloco da Shakti, Respect, Darkultura e Trance de Rua tiveram a co-produção do idealizador do Bloco Psytrance Somos Nozes. Um bloco ajudou o outro em divulgações.

Essa união mostrou o respeito e admiração pelo trabalho do próximo!

Afinal, é assim que deveria ser, né?

Equipes e crews sem rivalidades, sem julgamentos.Tem espaço para todo mundo! Tanto nas festas, na mídia, nos palcos e nas ruas!

A UNIÃO FAZ A FORÇA, GALERA!

Imagem: Victor Hakuna

Uma multidão nas ruas da cidade:

Esse é um marco histórico para a cena nacional do Psytrance. Em um país que a cada dia mais e mais festas aparecem com grandes produções e ingressos caríssimos, ir contra o sistema faz parte do movimento!

A música não precisa ser elitizada, e os blocos com Psytrance são um novo conceito para levar música gratuita ao público. É claro que isso traz consequências se tratando de um país como o Brasil, onde a cultura e falta de respeito acabam prejudicando muitos pontos.

O Carnaval de todas as cidades do país sempre tem casos de roubos, assédios, brigas e muuuito lixo no chão. É um problema social e cultural do brasileiro.

O que podemos fazer para melhorar essa situação é levar informação ao público e levantar a bandeira da conscientização e respeito com todos! E claro, CADA UM DE VOCÊS tem que botar a mão na consciência né?! Ou vocês são assim em casa também?

Imagem: Victor Hakuna

Aprovação vs Reprovação do público:

Nós acompanhamos diariamente os comentários positivos e negativos sobre o Carnaval com Psytrance em São Paulo.
Existe um movimento conservador que é contra a popularização do Psytrance perante vários motivos; e outro movimento que é a favor dessa popularização.

Mas até onde isso beneficia ou prejudica a cena?

É fato que a cena está se tornando mais popular de um tempo para cá. As festas estão investindo mais em decoração e infraestrutura e isso chama a atenção de qualquer pessoa, afinal, o que acontece dentro das raves não acontece em nenhum outro tipo de festa ou balada.

A produção audiovisual está melhorando muito, as raves estão sendo mais divulgadas, efeitos especiais nos palcos, na tenda e cada edição uma surpresa para criar uma atmosfera única para quem frequenta os rolês.

Por outro lado, essa grande popularização faz com que pessoas que não conhecem nossa cultura acabem degradando anos e anos de luta por igualdade, respeito e tolerância.

O que devemos fazer? Ir contra tudo isso em uma luta diária e incansável, ou aceitar que tudo está mudando e nos adaptar às mudanças com mais consciência?

É fato que novas vertentes irão aparecer, a “farofa”, que é um som mais comercial vai ter mais seguidores e mais pessoas vão começar ir nas raves; mas a culpa não é por conta da música ou da “farofa” ( termo utilizado para segregar esse estilo musical).

Imagem: Hi BPM (João Farah)

Cabe a nós escolher nossos rolês e auxiliar as novas pessoas (sem julgamentos) e levar informação sobre a cultura e respeito dentro da cena para que consigamos evitar que episódios como assédio, desrespeito e falta de senso afetem o cenário Psytrance.

Não dá para ir contra a maré, mas também não dá para deixar de frequentar esse mundo que a gente taanto ama. Escolha seu rolê, se divirta da sua forma, seja menos crítico e ajude quem está chegando à entender melhor nossa cultura maravilhosa e que muita gente nem tem ideia que existe!

Uma nova forma de curtir o Psytrance:

Então sendo assim, surge uma nova forma de curtir o Psytrance. Daqui para frente é fato que esse nicho irá crescer mais e mais. Djs, produtores e o próprio público estão de olho no Carnaval e em eventos de rua que tendem a se consolidar em São Paulo e em todo o Brasil.

Imagem: Hi BPM (João Farah)

Será que teremos bloquinhos em outros estados ano que vem? VEREMOS! hehehe

E você, o que acha sobre isso? Curtiu o Carnaval de São Paulo?

Ano que vem tem mais!!

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

QUER CONTEÚDO EXCLUSIVO? CADASTRE-SE NA HÏ BPM GOLD!

CONTATO

(11) 9 3455-5554 ADMINISTRATIVO

(11) 9 2001-9508 EDITORIAL

ONDE ESTAMOS

RUA VICENTE LEPORACE, CAMPO BELO, CEP: 04619-035 - SÃO PAULO - SP