O MELHOR DO PSYTRANCE

VOCÊ ENCONTRA AQUI!

O psytrance no Rock In Rio: nossa experiência no New “Trance” Order

Uma noite memorável, foi o que presenciamos nessa última sexta. A data de 04 de outubro de 2019 entra para um marco histórico da cena psytrance. A cidade do Rio de Janeiro foi quem sediou o maior evento de música da América Latina, o Rock In Rio, isso mesmo, o Rock in Rio, foi palco dessa noite extraordinária.

Você confere aqui e agora, com a gente, os principais momentos que fizeram parte desse passo importante da cena psytrance no mundo.

Foto por @lorrannascimento.ph

E assim começamos nossa história: Era uma vez um palco chamado “New Dance Order”, este responsável por receber grandes nomes da cena eletrônica mundial. Dentre eles, estilos como House, Techno, Trap, EDM, entre tantos outros. Mas afinal o que o psytrance tem a ver com tudo isso? Bom meus amigos, tem TUDO a ver! E estamos aqui justamente para lhes contar isso.

REVIEW DO “NEW TRANCE ORDER”

O trance ganhou uma noite no Rock in Rio praticamente dedicada a ele. Apesar de apresentações como Morttagua e Roger Lyra voltadas para o Techno, e abrindo os trabalhos da noite, a expectativa do dia estava voltada para os altos bpms que viriam a seguir. E mais ainda, tivemos no horário das 21h00 representando as mulheres a apresentação da digníssima Devochka que como sempre esmagou a pista com a intensidade do seu bass.

Foto por UM37 Mediahouse

Mas vamos ao que interessa, vamos falar de psytrance! Os nomes que nos representaram nesse palco foram os seguintes respeitando a ordem: Claudinho Brasil, Mandragora, Vegas, Infected Mushroom, Wrecked Machines, e Vini Vici. Claro que todos os clichês se manifestam aqui, no que desrespeito energia e clima desses sets!

Claudinho Brasil abriu as atrações de psytrance com uma performance vocal histórica, em forma de tributo inspirado em Freddy Mercury, que fez a mesma ação na primeira edição do Rock in Rio em 1985. A conexão entre Claudinho e o público presente no “New Dance Order” foi surpreendente.

Foto por @lorrannascimento.ph

Desde sua entrada, com a galera cantando em coro “Ih, F*deu, o Claudinho apareceu”, até seu tradicional mergulho na galera, sua apresentação com certeza impressionou o público que assistiu de casa a transmissão ao vivo feita pelo Canal Bis, onde puderam ver um verdadeiro “showman” em ação. Com um setlist recheado de músicas com influências e riffs marcantes do rock, Claudinho Brasil fez valer seu espaço nessa noite histórica.

Foto por @lorrannascimento.ph

Mandragora nitidamente estava vivendo um sonho ao se apresentar no “New Dance Order” no Rock In Rio. A alegria e empolgação com esse momento estava estampada em seus olhos, e isso se traduziu em sua performance durante o set. Com muita energia, subindo na mesa várias vezes e utilizando bastante o microfone, o DJ/Produtor conhecido por não ter papas na língua, apresentou um set pesadíssimo e recheado de sucessos.

Foto por @lorrannascimento.ph

Mesmo com grandes nomes do rock mundial se apresentando nos palcos Mundo e Sunset, Mandragora conseguiu manter a pista aquecida e com um ótimo público, demonstrando que realmente possui fãs apaixonados, e que fazem um lindo espetáculo na pista, independente do tipo de evento que ele se apresente.

Foto por @lorrannascimento.ph

Uma das atrações mais esperadas da noite, Vegas estava com o semblante radiante. Em uma data histórica como essa, a ansiedade para a apresentação do Produto Nacional estava gigantesca. E como sempre, ele mostrou o porquê de ser um dos maiores nomes (se não o maior) da cena psytrance nacional.

Foto por UM37 Mediahouse

Quem escolheu acompanhar o set de Vegas foi privilegiado com 1h30 de apresentação, onde o DJ/Produtor soltou inúmeros sucessos, tanto dos primeiros álbuns, quanto dos atuais, e ainda as novas tracks que ele está produzindo. Para quem é fã, foi uma performance memorável, eclética, e que emocionou o público presente no “New Dance Order“. O sentimento geral é que ele estava compartilhando com todos aquela vitória e momento históricos, criando uma atmosfera de euforia e satisfação que contagiou a todos.

Foto por UM37 Mediahouse

Entrando na madrugada, a sequência de grandes nomes do psytrance nacional e internacional se estendeu. O duo Infected Mushroom estava se sentindo em casa diante do público do Rock In Rio, e com uma performance vocal vibrante e cheia de efeitos visuais, levaram a galera ao delírio. Logo em seguida veio o lendário projeto Wrecked Machines, encabeçado por Gabriel Serrasqueiro (conhecido hoje por seu projeto GABE), que trouxe um momento nostálgico para a pista, tocando grandes sucessos que embalaram as pistas da era de ouro do psytrance e são conhecidas até hoje. E para finalizar em grande estilo, Vini Vici assumiu as CDJs para finalizar a noite no “New Dance Order“. Com seus remixes inspirados em grandes sucessos do rock, somados com uma batida pesada e intensa, a pista se encheu rapidamente, e atraiu a atenção de grande parte dos rockeiros que passavam por ali. Foi um momento de integração, troca de experiências e respeito entre as diferentes tribos. Histórico!

REFLEXÃO SOBRE O PSYTRANCE NO ROCK IN RIO: POSITIVO OU NEGATIVO?

Sabemos que para maioria dos nossos leitores esse tipo de evento, nessa configuração “descaracteriza” o estilo da rave. Mas é aqui, onde gostaríamos de dar nosso relato sincero e visão sobre essa noite. Antes de mais nada, essa noite representa sim um marco para cena psytrance mundial, vai além de vertentes, festivais ou economia. O grande ápice da situação, se trata justamente do estilo sonoro ter chegado ao palco de um dos maiores festivais multiculturais reconhecidos pelo mundo. Sim, essa é a representatividade que isso tem.

Um evento do porte do Rock In Rio, onde milhares e milhares de pessoas estiveram presentes, onde o olhar do mundo inteiro estava voltado para o que aconteceu lá, teve um dia dedicado ao psytrance. Essa noite vai além de todas as expectativas que já pudemos criar sobre a cena, pois se trata de um passo muito grande rumo a popularização do psytrance. E sim, há aqueles que irão se queixar que o trance está perdendo sua essência, e que um evento assim traz justamente a homogeneização que nenhum raver deseja para essa vertente. Porém, ainda há aquele ponto de vista onde sabemos o quanto maravilhoso é nosso universo, então não existe motivo para não querermos que cada vez mais e mais pessoas passem a conhecer nosso estilo de vida!

Não podemos deixar de mencionar nossa satisfação em ver grandes veículos de comunicação nacional dando espaço para os artistas de psytrance se expressarem e fazerem suas vozes serem ouvidas, como o G1, UOL, Canal Bis e tantos outros. A noite de psytrance no Rock In Rio deu ainda mais voz e expressividade ao nosso movimento, que continua crescendo e derrubando tabus. Foi a oportunidade para muitos, tanto presentes no evento quanto assistindo as transmissões ao vivo de casa, conhecerem nossa música, parte da nossa cultura, e se impressionarem com o nosso amor por esse estilo de vida.

Sim, estilo de vida. Uma das coisas que nos fizeram enxergar isso, que independente do crescimento desenfreado da cena e com isso o aumento de alguns pontos negativos. De maneira nenhuma, podem e devem anular o que de todo resto é extremamente satisfatório. Assim, mesmo em momentos aleatórios na pista do RIR pudemos sentir a essência do que vivemos no dia-a-dia. E sentimos isso, quando estávamos lá dançando e alguém aleatório ofereceu água. Ou quando estávamos “perdidos” olhando pro nada e vieram nos puxar para pular e vibrar ao som de Vegas. E o mais incrível de tudo, foi ver a quantidade de metaleiros, ainda tímidos no começo, mas que aos poucos foram se soltando a cada “pedrada” do ritmo intenso de Vini Vici irem se contagiando aos poucos a ritmo de cada batida da música. Realmente foi uma realização pessoal ver o poder e alcance que o psytrance tem dentro de qualquer nicho.

E isso resume nossa experiência. Viver isso intensamente ao longo desse dia foi uma das coisas mais extraordinárias que vivemos. A história sendo desenhada e o psytrance sendo marcado na trajetória do Rock In Rio sem dúvida fez a emoção tomar conta. É mais que uma vertente, é um estilo de vida! E nós da Hï BPM desejamos que esse estilo chegue cada vez a mais pessoas, e mais lugares por todo o mundo, afinal é exatamente por isso que a Hï BPM existe.

Que nossa essência não seja perdida, mas sim passada a diante!

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

QUER CONTEÚDO EXCLUSIVO? CADASTRE-SE NA HÏ BPM GOLD!

CONTATO

(11) 9 3455-5554 ADMINISTRATIVO

(11) 9 2001-9508 EDITORIAL

ONDE ESTAMOS

RUA VICENTE LEPORACE, CAMPO BELO, CEP: 04619-035 - SÃO PAULO - SP